Português English Español
- Info País: Chile
Estado: Nuble
Local: Biobio
Temas Geográficos:
Vulcões e Gêiseres
Data:
Agosto 2005

Esquiando em Termas de Chillan

Introdução

Chillán é uma das cidades mais antigas do Chile e também uma das mais belas. Em uma região vulcânica, a paisagem não é o único atrativo, há também as estações de águas termais e as 29 pistas de esquis que fazem da cidade um dos roteiros preferidos para esportistas e turistas. Mesclando a vontade de esquiar, relaxar na hidroterapia e aproveitar as belas paisagens promovidas pelos vulcões e pela neve, a região atrai cada vez mais visitantes, e torna-se conhecida no mundo inteiro.

No Centro de Esqui e Termas, a 80 quilômetros da cidade, são oferecidos restaurantes, pubs, discotecas, piscinas térmicas, spas, lojas, lanchonetes, café, pronto-socorro, centro de compras, além de instrutores e aluguel de equipamentos.

Histórico

A cidade foi fundada em 1579, por Martín Ruiz de Gamboa, capitão general e governador do Chile, que na época batizou a cidade de San Bartolomé de Chillán.

Nesses mais de 400 anos, a cidade se desenvolveu, cresceu e sofreu com terremotos e com a fúria dos vulcões. A cidade passou por diversos problemas, sendo atacada nas guerras, abandonada e reconstruída em várias oportunidades.

Em 1751, Chillán foi removida de seu lugar original por Ortiz de Rozas. Em 1835, um grande terremoto destruiu novamente a cidade, que se viu obrigada a voltar para sua localização original, criando assim a nova Chillán. Em 1939, quase 100 anos depois, outro terremoto destruiu quase 90% da cidade, que foi então novamente reconstruída.

Hoje, Chillán está em crescimento, e é a capital da província de Nuble (VIII Região).
As construções da Chillán moderna são elaboradas de acordo com as características da região: anti-sísmicas, fortes e resistentes.

Atividades

O Mercado de Chillán é um dos principais atrativos para turistas. Lá, são oferecidas obras em cerâmica, tecidos em lã, trabalhos em madeira, além de rendas, mantas, ponchos ou palas, e outras peças de vestuário típico dos Andes. O edifício foi reformado em 1991, quando modificaram as instalações interiores e remodelaram os espaços reservados para o comércio.

O Convento de São Francisco era o centro dos missionários jesuítas. Hoje, o convento é um museu que expõe objetos religiosos dos tempos da colonização. A cúpula do prédio é aberta a visitações, daonde pode-se ter uma boa vista panorâmica da cidade.

No Parque Monumental Bernardo O’Higgins, os visitantes podem conhecer um mural de pedra com 60 metros, onde é narrada a vida do Libertador O´Higgins, que nasceu em Chillán em 1778.

A Escola de Chillán foi construída em 1939. Suas paredes têm murais dos pintores mexicanos David Alfaro Siqueiros e Xavier Guerrero. Eles contam a história entre Chile e México, com uso forte de cores e expressividade marcante.

Termas de Chillán

Uma das principais atrações de Chillán são as águas termais. À cerca de 80 quilômetros da cidade, elas estão no complexo hoteleiro e o turista poderá aproveitar banhos em piscinas aquecidas por um vulcão inativo, onde as temperaturas ficam em torno de 36 a 38 graus, além de lamas medicinais de origem vulcânica (fangoterapia), spas e outras atividades de relaxamento.

As piscinas costumam ser mais badaladas no fim do dia, quando os esquiadores resolvem descansar nas águas sulfurosas e minerais, ou nas espreguiçadeiras espalhadas em volta das piscinas.

A região tem completa infra-estrutura para os visitantes e oferece excursões e passeios durante todas as épocas do ano. A estrada que leva às termas atravessa o bosque nativo e sobe por curvas que margeiam a bela vegetação natural.

Pistas de Esqui

A 1600 metros de altitude encontra-se a pista de esqui mais extensa da América do Sul. Ao todo são 29 pistas distribuídas em uma área de dez mil hectares. Todas elas estão localizadas junto ao Vulcão Chillán, cujo topo é coberto de neve nas quatro estações do ano.

As pistas, por serem extensas e apresentarem boa infra-estrutura, atraem esportistas de todo o mundo, mas grande parte dos visitantes é de pessoas que nunca colocaram um esqui nos pés. Passam o dia brincando e tentando se equilibrar enquanto descem pela neve. Há pistas para todos os gostos e níveis, difíceis, médias e trechos complicados, que exigem perícia dos esquiadores, mas também há locais agradáveis e ideais para os novatos.

Além do esqui, Chillán oferece passeios de trenós puxados por cães da raça husky, snowmobiles (moto para neve), cross-cuntry e snowpark. Os passeios cruzam os vales e bosques da região. Lá, é possível vislumbrar toda a paisagem do local, principalmente o vulcão e sua neve.


Vulcões

Todo o Chile foi construído ao redor de atividades vulcânicas. Suas cidades, estradas, montanhas e territórios são formados e cercados de vulcões, mas, em Chillán, o vulcão não é apenas parte da cidade, ele é vital a todos. Nele, as pistas de esqui se formaram e, a partir dele, a água termal escorre pelo subsolo e surge nas piscinas aquecidas, além da lama vulcânica terapêutica, muito bem aproveitada pelos turistas.

Verdadeiramente, em Chillan não existe apenas um vulcão, mas um complexo vulcânico formado principalmente por 2 vulcôes que são o Chillán Velho (maior) e o Chillán Novo (menor). Ambos são vistos por todos da cidade e ficam há 3000 metros de altitude. Ainda sai fumaça de seus topos, mas eles já não estão muito nervosos. Calmos, os vulcões não entram em erupção há muito tempo. O maior, desde 1890, e o menor teve uma leve atividade em 1974.

Quem vai a Chillán tem o privilégio de concentrar num mesmo dia alguns prazeres raros: paisagens bonitas, esportes agradáveis, terapia em águas termais e matar a curiosidade de ver e tocar nas encostas de um vulcão.

Dicas

As pistas de esqui estão sobretudo localizadas nas encostas do Nevado Chillán, adjacentes ao vulcão Chillán Novo. Utilizando os teleféricos das pistas de esqui, você pode subir até os pontos mais altos do Nevado, e de lá seguir andando mais 2 horas até atingir a cratera do Chillán Novo. Esta subida é aconselhada apenas para pessoas habituadas à trekking e à neve virgem.

Nestas encostas, é possível praticar-se a modalidade fora de pista, isto é, os praticantes de snowboard e de esqui descem em terrenos selvagens, não monitorados pela estação de esqui.

É possível também uma subida moderada para a visualização do complexo de gêiseres, que se localizam logo no começo das encostas do Nevado Chillán.

No verão, existem outros tipos de atividades e os hotéis estão abertos para os turistas que querem desfrutar de caminhadas, cavalgadas, trekking e banhos em piscinas.

©Fóton Multimídia 2002 - . Todos os Direitos Reservados.